quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

EU SENTIMENTO VIVO

Revi o vídeo 0035, às 15e45 de uma quarta, prestei mais atenção na

tua fala, mas o conflito interno em lhe escrever foi o mesmo: eu

penso todos os dias em você, salvo os que me distraio. O pensamento

em você se faz e desfaz sem fim, é um dilema, as coisas mudando de

lugar e eu procurando achar o sentido de tudo que eu já encontrei em

você e perdi! Eu procuro semelhante sentido nas minhas outras

paixões, e por enquanto, todos os receios do mundo. Corpo abre e

fecha, e o coração permanece fechado sem se abrir. Se entregar é

entregar tudo de si?

(...)

Copiosamente despi os seus detalhes, fragmentando-me em cada cena da

sua desapontada respiração e senti seu desespero, olhei de perto e

me vi refletida em você na tela. Vi meu desespero. Você estava de

toalha e cabelos soltos molhados, e aí eu sorri sabendo que posso

rever sua pele quantas vezes eu quiser, não que eu vá ficar voltando

a parte em que você diz, da maneira mais gostosa que já ouvi, "eu

amo você!". Fato, nós amamos.

E teus olhos para o canto e para baixo, parecia triste neste dia e

dói ver que você chora. Desperta meu desejo de te ligar e dizer que

quero sair e tomar umas cento e seis cervejas com você...para nos

fazer parar de culpar o nosso olhar, pro seu olhar me ocupar - de

novo - inteira, lacuna de saudade gigantesca do teu espaço, querendo

olhar no profundo imenso do seu olhar e ver todos os nossos filhos e

você trocando o botijão de gás e as panelas esfriando no fogão, e eu

lavando a louça.

E nossa casa? Não consigo imaginar a nossa casa.
Só imagino as coisas acionadas e co-relacionadas. Não sei até onde

imagino a nossa vida se cruzando por aí... Reacionando meus sentidos

por repensar você, sem qualquer interferência de notícia sua.

Mentalizar você para você sentir meu pensamento em ti.

Mas, você estranharia meu número na interface...

Você imaginaria minha face, deduziria que eu estivesse muito

abandonada e estivesse a fim de voltar com tudo pra você, que eu

dancei por aí e me lembrei do seu amor que era o melhor de tudo, e o

pior, você imaginaria que eu saberia que procuraria você por saber

que você me aceitaria! Mas, o ama-durecimento aqui chegou mesmo pra

ficar.


E talvez você demoraria para atender o telefone, uma vez que já lhe

fiz esperar tanto. Talvez não... Talvez você sinta isso também,

talvez as coisas estão onde deveriam estar, talvez tudo passou por

nós rápido demais e tivemos sim o tempo de ver o quanto de mim você

gostava e que eu gostava de você. E talvez as coisas estão onde

deveriam estar.
O vivo sentimento.
Guarde ele dentro do seu coração, no cantinho das mais doces e

ingênuas lembranças...eu tenho uma alma de escrever pra pensar você.

O que eu sinto eu não o sei explicar.


Eu sentimento vivo.
Vida que já viveu você e eu.
Vivo que está vivência que eu vivia que era só viver eu e você.
Você e seu semblante nobre.





*foto: peitos de um certo acervo particular