quinta-feira, 25 de novembro de 2010

REVIVER

Cautela
Cuidado
No teu canto
Gire a manivela
Pule uma janela
Ande de pés no chão na terra
Erra e acerta depois
Onde resta um, restam dois
Tudo pode parar
Será preciso botar tudo no lugar
Pensar facilita
Raciocinar qual escolha fazer agora
Sim dizer, se for pra esta hora
Não demora Salvador
Sinto saudade de amor
Vejo o céu que se abriu
Relendo notícias de alguém que partiu
A volta será sempre uma loucura
A cura não está na medicação
A cura mora na paz da auto-reflexão
Seus pés no chão irão sujar
E haja água fria pra limpar e refrescar
Queria ser dois, foi dois e foi feliz
Por um triz não deixou o novo caminho para depois
Depois não quis, cerrou os sonhos e ainda diz
Que aprendeu a ser atriz e bailarina
Doce menina aprendiz
Na roda da minha saia se escondeu
O beijo esperado não me deu
Quando deu disse que não era beijo, era viagem
A paisagem era noite
A mensagem era de celular
A carta não fora enviada
Um dia haveria de mandar
Inventa um som e se anuncia
A rima, o texto manco, a poesia
A grafia só se usa na escola e no trabalho pra anotar
Sua companhia mais fiel, são as teclas para teclar
Contabilizando dias, noites
Para infartar
A saudade mata até de saudade morrer
Mas o reencontro é um verdadeiro reviver.

HOMEM COM M, DE MENINO


Vem, pega na minha mão, não segura ninguém. Quem escolheu você, escolheu mal. E quem você escolheu pra ser é um ser derrotado, destruído de sinismo, duas caras, dez mil, você não vale um real, imagina teu pau. Você achou teu pau no lixo, não que coma qualquer um ou uma, é que teu pau mora no lixão e não na filosofia. Pra que rimar machismo e egocentrismo?

Tenho um dó docê. De olhos abertos, não escreve, não chora e não sabe mais como dormir em paz. Não reza, nunca rezou jamais e assim desconhece a presença do bem querer dentro de você.

Se você é um verme, você é porque você quer. Tudo tem seu começo e tem seu meio, e tem seu fim e no final você vai morrer. E quem vai chorar? Quem vai sentir a sua falta, imbecil? A graça desgraçada tua acabou e você nem viu, você não sentiu, embora acredite que sim. Te encontro no fim, do caminho, sozinho, eu vou te resgatar na outra vida. Se precisar, e vai, vou te ajudar. Eu sou de paz, guerra não mais, não mais desperdiçar palavras, pronunciar discórdia dia-sim-dia-não e todo dia é dia de alegria vazia pra você. Você tem coração? Eu sei que sim, mas sinto que não.

Teu olhar me dá nojo, e olha, ainda assim lhe tratei com o devido respeito. Lhe abri minha porta, lhe dei um copo pra beber, ofereci alimento verbal e mental a você para quê?

Eu não me esqueço das ofensas. Eu posso até perdoar, por que é o certo a fazer, mas comigo é uma vez só e sempre vai ser. Eu tenho muito a oferecer e tem quem não saiba, mas nisso eu nem me ligo. Eu sei ser amigo, eu sei ser bandido banido, eu sei discar três números, 190, para resolver teu problema nasal.

Eu nunca me esqueço das ofensas, bêbado ou não, o melhor do pior é a intenção. E eu estou viva, sou ativa, não preciso ser de afirmação quando sou uma cabeça mentalizando uma oração minha alma canta e vibra, e só vibra para o bem, mas sabe escandalizar o mal também.

Você está tão aquém do rumo do mundo, tão despreparado para o sucesso, tão escasso de além-daqui, quando tudo voltar pra você, você vai ver, que não há nada pior do que ser alguém insuportável (como não se pode ser).

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

email para um tal Glauco Mattoso

Oi Glauco, vc me parece lindo.
Eu acho q a gente vê com a mente.
E eu acho que a gente mente com os olhos.
A gente aprende a mentir quando mentem pra gente.
Eu não te conheci, eu li seu nome hoje, curioso, ainda não pronunciei seu nome!

(!)

E então, “PEDRO JOSÉ’!
Ha!
E PRONUNCIEI SEU NOME (e pronunciei só uma vez, mas certamente hei de falar muito de ti.)

Como lhe conheci???
Hm
Eu sigo um blog de uma menina q não sei quando conheci
E hoje eu fui até o blog dela e mandei uma poesia pra ela
Mandei uma mensagem apreciando-a porque ela é linda e eu sou lésbica

E ela me trouxe você.
( Eu nem a conheço.)
E te re-conheço.

“Quando não queres nada,
Nada falta” ; Maricotinho.


Um beijo, e muito prazer
Luz mental nos teus olhos
nas tuas idéias 

GOTA CACHECOL

Um pensamento que quero escrever, mas, oque abordar? Nossas escritas são escritas ao acaso. E depois disso paro uns cinco segundos para admirar essa úlima frase.

É frase de fase. Fase de fazê frase. Se eu pudesse descrever esse momento... eu sinto falta de escrever, sim, como sinto! Mas, de repente eu estou me auto-programando para sei lá o quê e tudo sai diferente. Sabe assim, que sai e parece que esse tudo é o nada que sai de mim!

Estranho comportamento literal esse, quando os versos empobrecem pode ser que o coração pedrificou...

Doente essa sensação de querer calcular o resultado da história antes mesmo dela ter começado a ser escrita.

Eu gosto de ser pensamento em você, e nos olhos atentos à tela e aos dedos que teclam descrevendo sensações.

Continuo na promessa de não deixar de escrever. Creio.

E eu gosto desses dias brancos de vento frio no nariz, me lembra São Paulo, me lembra a Galeria, definitivamente. O que eu faço aqui mesmo? Ah, sim... estou muito feliz.

Deixe-estar-estou-feliz-no-final-das-contas.

Não só porque pago minhas contas.
Posso até tirar meu cachecol do guarda-roupa, esperar por mais uma delas até três, dez horas e ela chega fria da rua com a boca geladinha. Que momento maravilhoso!

Mais um ponto: A gente cresce e se sente besta demais pra falar do amor. Claro, considere todas as desilusões, os casos e cachos passados que não se firmaram. Considere os teus erros, as vezes em que você dizia que amava e hoje pensa "Não, aquilo não era amor, pensei que fosse."

Mal humanamente aceitável.

A gente as vezes se sente com o coração gasto mesmo...

E se apaixona de novo e se sente criança, gospe na mão e cola na testa porque ela é de verdade, minha querida!E você descobre que ela é livre igual você.

Amor que se pede diferente e vem tão doce e deixa tudo tão seguro de coração.

É tão bonito e bem recebido um acalanto, tão quentinho... e vale lembrar que segurança no coração é o começo de tudo. E não há porque querer acelerar o passo, o processo é preciso.

E racíocio repentino me aboba!
Não se deixe enganar, sentindo-se bobo é amor!


( escrito em novembro de 2005, levemente reeditado hoje.)

SÍNDROME DE RETARDADORISMO

Se eu quisesse que fosse, e se fosse, a mim conveniente, e se eu quisesse... eu viveria da Síndrome de Retardadorismo. Se fosse a mim conveniente.


Depois que a tv a cabo voltou a reinar na sala e a internet a cabo no computador do quarto, a vida dos pensantes mudou. Mudaram os afazeres, mudaram os hábitos, mudaram até as refeições de lugar.


E eu me desligo do tec-tec para ouvir os sinos da janela, sentir o vento levando os fios da minha franja limpinha para frente e para trás e para o lado.


- sublime viagem quando há pólvora no shopping -


Pois escrevo o verso a mão sem deletar, ou sem poder deletar, "poder" neste sentido, com um sentido esquizofrênico.


- "Pense um pouco, escreva com calma ."
- "Ok." 


Logo o raciocínio estará ok, mesmo que ainda dividido entre o senso da preocupação com Embamoeba Histolytica, essa que abocanhei esses dias, em algum palmito passado ou até na salada do x-salada, quando cagar pouco vira uma bobagem, e o resto é graça. Trágico o bastante. Nada que a os cabos não confortem! E as fibras!!!!! Óticas e Oiticicas se contorcem.




(Janeiro de 2006)

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

DOTZ

Tudo oq vivi com vc foi único. 

Foi única a originalidade de nossas expressões, apelidos e palavras; para o bem e para o mal; o mais gostoso, intenso e interessante do nosso amor. E ficou normal dizer adeus, estava sendo normal se arrepender depois do adeus também, mas um dia... - e aqui não quero querer dizer que cansa - o encanto desencanta por si próprio. Por que fora difícil demais, por que fora fácil no instante que parecia precisar ser difícil e vice versa. Maior e melhor amor da minha vida, não intensamente como quando fez-se considerado que era o maior e melhor - este instante viria a ser o momento da leitura desta, ou desta escrita; este instante da constatação do que viria a ser único veio a ser aquele momento onde me senti apaixonada de verdade e (o mais importante!) você me correspondia. 

Você é o maior e melhor amor porque simplesmente outra (e não se ofenda) ainda - não existiu. Teria de ser muito, mas muito melhor que você e toda a sua doçura que eu adoro, mas eu nunca vi. Eu só vi você no meu caminho.

Em todos os dias da minha vida, desde que lhe conheci, eu penso em você, e sobre o que pensa e sente sobre como sou longe. Isso quer dizer que seu estado de espírito me importa, seu acalanto também. Isso quer dizer que você é uma mulher de paz. ( E como não poderia faltar!) Eu também sou. Mas eu sou fogo! Você provavelmente é ar, porque você está/se faz no ar. E deste meu respirar há de durar a sair.

Mas se trata dos cinco sentidos sentirem, e os meus ainda, em duplo sentido. Te amo para sempre por ser fonte de inspiração tomada à forma, porque amo muito(s), e muita(s) pessoa(s), não deixando de acreditar copiosamente, que poucos me amaram como você. Te amo para sempre pelo seu carinho imenso, seu colo gigante, seu balde cisterna das minhas lágrimas. Sentindo seu coração e sussurrando meu sentir de ti nos teus ouvidos, para sempre, você me inspira lindo.

E se isso aqui que sinto, não existisse aqui, agora, eu, poderia dizer sim, que "depois de você era tudo saudade". (ASPAS para ORFEU de CAETANO)

Não deixe de se apaixonar, o amor vale a pena, o amor vale todos os sacrifícios, o amor suporta os vícios. O longo amor pode existir, longos amores existem. Não me queira mal, me queira bem, mas não me queira como mulher, me queira como ser, e aprenda a ser outra mulher. Não que você não me agrade.

Estou certa disto de verdade. Te falo como amiga, como quem te amou, como quem escreve quando concorda, como suspirar agradencendo tudo o que vivemos e sentimos. Cresci. Cresci como pessoa com você, pois você é alimento de engrandecimento. Você é flor de amor, bruta, louca, deliciosa, querida, ao meu tamanho, dentro das disposições que me cabem. Seu cheiro dança dentro, de mim, do meu poro. Ciranda do amor que não esqueço, delírio da paixão que me envolveu. Sorriso simpático que me enlouqueceu. Maior que luz de sol, mais quente que o sol do sertão, SER TÃO EU, SENTIR VOCÊ, SER TÃO TUDO NOSSO, SER NOSSO E ETERNO SEM ESTAR PRESENTE E PERTO. O certo é saber que o certo é o certo. O perto está perto por estar dentro, por ser... por ter sido um coração aflito batendo na garganta do peito. Desvairadamente envolvida por suas tendências gostosas (coisa mais bonita é você).

SINTA PALAVRAS
SEJA SENTIR
OUÇA COM OS OLHOS
O TAMANHO DESTE AMOR QUERIDO
VIVIDO
SENTIDO
É
SABER
QUE AMOU
E FORA AMADO
QUIS
E FOI QUERIDO
QUIS E QUIS SER DOIS
FOI DOIS E FOI FELIZ.