quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Fogo em Leão

Estava cantando de alegre, fazia os outros rirem no escritório, fechava os olhos de olhos abertos, suspirava de bem com todos, eu disse todos, os seus ofícios. Feitos, afazeres e afetos desfeitos, no dormitório escandalosamente à vontade, visto que a primeira imagem com som que viu em sua tv 3D foi Jorge Ben novinho, em preto e branco, e o violão.

Felicidade que faz o mundo calar seus cotovelos.

O CÚMULO DE SI ACUMULADO

Acúmulo sobre acúmulo e o acúmulo se sobrepõe
SOBRE-PÓ-HEIN
O cúmulo de si é ser, de verdade, completamente diferente do que se espera.

AFETOS QUE AFETAM O TEMPO

O dia deu calar a tua boca com um beijo meu chegou,
E não foi preciso me procurar,
Eu vi você, no dia em que você me encontrou.

Passei a querer todos os afetos a passeio
Passei a passar o meu afeto para frente sem temê-lo
Passei pelo inesperado tempo, que passa e que somente por passar quer me afetar.

Afetei o passar do meu tempo
Contemplei os afetos passados e afetados pelo tempo

Enquanto eu morei na favela de mim
Meu parque preferido passou por mim num Jardim Elba.

domingo, 13 de novembro de 2011

Indestrutível saudade

Escrevi seu nome hoje no papel e chorei, de um jeito que já não se chora mais na web.

Acho que te amo muito e acho que nunca te amei

Acho que nunca vivemos plenamente o nosso amor

Fui imatura

De certa forma, meus VOCÊ dos escritos...

;(

Todos têm você, no português claro e antigo.

E aí tem uma coisa que eu aprendi,
Que você ainda não sabe

Que a gente não deve ter vergonha do amor

E tudo do amor, para mim
Tudo, tem muito de você.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Mas,
no fim sempre é ruim.

Postagem #101

Quer-se inteiro, óbvio!

Salivo a boca e não sinto nada
Água na boca
Saliva quer palavra
Calor da pele quer dar um cheiro
Mas que não venha com metades, meias verdades,
 Quer-se inteiro.

Palavra pronta remete a nada
Remete a tudo, mas é só palavra
Saliva fica na boca do beijo
Que beija a boca quente
Que mente que
Quer-se inteiro.

Quer-se inteiro,
Quer-se inteiro,
Mas extravia inteiro,
O amor primeiro.

De noite, fantasia uma valsa de rodas barulhentas
Buzinas, esquizofrenias em suas esquinas.

De dia, é criança que está nessa dança de criança que tem que trabalhar...
Suas sementes de palavra que é só palavra
Remete a tudo, a nada, porque é só palavra
Que quer o amor primeiro inteiro
O amor não vale nada!

O amor não vale nada,
O amor só vale o que nos dão e o que nos damos
Se flertamos com o amor
O amor primeiro vai querer inteiro
O amor não vale nada!
No amor são só palavras,
Que remetem a tudo e a nada
E a nada. É o nada que nós temos
Que nos remete a tudo que
Quer-se inteiro. 



Isabel. ainda sob efeito do 11.11.11 

Se jogar confortabilíssimamente

E aí houve um trecho no documentário sobre o Doors, em que narrava o locutor, que Jim se afastou das drogas para vivenciar somente de sua poesia, mas que sua poesia pouca adrenalina trazia, perto da adrenalina que Jim já conhecia.

Vá idade!....Os caminhos estão mais curtos!

A pauta de hoje é vaidade
Não por coincidência,
Desejo de ser jovem
E ter na cabeceira o retrato de Dorian Gray...

Desejo de ser jovem,
E facilitar as buscas para você
Desacreditar que esta moça cheia de mimos,
No espelho, só vai existir na lembrança...

Desejo de que as lembranças, mantidas sejam (!)
E rebolem de desdém na cara do desejo
E rebolem de desejo na cara do jovem seu
Que morreu.

No espelho, só vai existir a verdade
Na verdade, só vai existir a ternura
Ternura essa que não envelhece porque
A ternura é uma marca que perdura



Isabelita 11.11.11
apaga o que não gostou e manda bala.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Vi, vás

 Vívido! Vivencie! 
A vivência avança ( à medida que)
A volúpia te alcança, e
Nada vai abalar a sua verve
Porque quando nada se espera
Qualquer verve serve
Conserve o seu quê sexual
Perfeito será se for de dois e o animal
Há de surgir logo depois
E se amostrar é uma delícia antioxidante
O desejo de prometer ser como água, transparente
Amante
Tome hortelã e clorofila
Fure a fila para me amar
Me chame mesmo quando, aparentemente, eu não escutar!

Vivencie, vívida espécie,
Dos prazeres que ainda não conhece e não se esquece
Não é nada além da vida, desta vida,
Nada se parece com lembrança alguma
Come muito, bebe, cheira e fuma
Um dia um chute irá vibrar no topo da tua lista,
Você não vai entender e vai pedir só uma pista, e assista
Sente-se para visualizar o seu triunfo,
De dentro da sua mente
Este é teu trunfo

Grave então isto: você é especial
E eu o sinto quando aperto a sua mão,
Então não minto, grave isto:
Especial é acumular paixão
Isto soa ridículo,
Mas tudo bem não saber escolher
Hoje é um bom dia pra você?
Dê-me bom dia então, aperte a minha mão e grave isto:
Paixão é conseqüência de um encantamento lindo
Não se tem opção
Não é um momento que irá dizer
Depois do afeto há de existir por um acaso meu..
Eu e você, você e eu
Mas não me iludo,
Não me ataca o desagrado de não lhe exercer meu sentimento
Eu e você, você e eu
Foi tudo culpa minha, o tempo todo, o que ocorreu
Há desejo que não se explica,
E esse desejo involuntário se complica
À medida em que fica aqui esta vontade
Esta vontade aqui fica
E você disse que a vontade ficaria...
Mas é no ápice do seu poder
Que eu percebo que você me ludibria.

(29.10.11 Isabel)

Seduzido pelo não


(vulgo, )
A sua culpa lhe dá poder.

Bom dia mulher maravilhosa, mulher super!
Você vai colher os frutos de todas as suas sementes!

Sua mãe vai reclamar? Reclame!
- Reclame custa um dinheirão! –

A moda sempre paga para afetar o que eu não tenho, e a mídia adooooora!
Porque a mídia adooooora o que eu não tenho.
Porque a mídia quer me dar o que eu não tenho.
E assim que eu começo a consumir todo mundo me ama!!!

























As coisas se amontoam quando não se arruma
E é a maior obra bater cabeça
Quando na verdade só se quer um riso
Se quer mudança

Sorrir desde o planejamento
Desejar fazer sem redundância o outro feliz
- Cris!!! – o grito
O grito de Cris é traumático

- Consuma!  Todo dia
É dia de estragar a sua vida
A culpa lhe dá poder, você é seduzido pelo não.
Seduzido pelo não.


Então...


Não vou escrever de amor porque não vai valer à pena

Acena quando eu despedir de ti a cena
Contudo não vou preocupar-me se,
Por acaso, eu mergulhar na minha falta de você
Lembrar da angustia em não te ter
Aperta então, ao desistir, a minha mão
Quer resistir, em te deixar o hoje levar,
De perto aqui tudo de ti,
E eu vou tentar me convencer
Que a vida vai vir sem você,
Não quero mais sofrer em vão,
Eu vou calar meu coração,
Então... Então...

Isabel
31.10.11

Prever o futuro no escuro de si



No escuro de si, em meio à festa

O que este papel branco me representa?
E este instante?
Eu me representei? 
Alimentei os meus desejos?


Mentalizando consigo

-Você trocaria uma playlist recheada por meus beijos? Não, não é opção.
- Tudo vibra emoção, sensação, confusão, confusão!
- Às três, você me pede três reais e desiste do nosso lance emocionante!
- Não é preciso mentir, mas mentir é coisa dos bons amantes.
- Mentirosos! Oportunistas! Massagistas de si e de seus egos!


Deficientes de nós

Estamos cegos do nosso volume, tentamos escrever bonito, e conscientes das nossas vibrações.

- Pai nosso que nos céus esta observando, concentrai a nossa força!
- Torça para dar certo, engula um pimentão esperto e se sobressaia.


Reacionários

Somos todos tão malditos, tão bandidos!!!
Merecemos punição, a prisão de nos sem precedentes, é verdade, é a própria punição alimentar, a culpa é dessa cadeia de liquidificar-dor, congelar-dor, de amarrar-dor nos cabelos dos outros que nos querem, e nos ferem, mas faz parte deste jogo se ferir e se jogar, se repartir, se reprimir, se analisar;

Porque é nosso dever, sem querer, querer prever o futuro.


icmt 3.11.11