domingo, 13 de novembro de 2011

Indestrutível saudade

Escrevi seu nome hoje no papel e chorei, de um jeito que já não se chora mais na web.

Acho que te amo muito e acho que nunca te amei

Acho que nunca vivemos plenamente o nosso amor

Fui imatura

De certa forma, meus VOCÊ dos escritos...

;(

Todos têm você, no português claro e antigo.

E aí tem uma coisa que eu aprendi,
Que você ainda não sabe

Que a gente não deve ter vergonha do amor

E tudo do amor, para mim
Tudo, tem muito de você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário