sexta-feira, 30 de março de 2012

Cabeça-mantra



































Cabeça-polpa

Concentrada
"Tem que estudar!"
"Tem que estudar!"
"Tem que estudar!"

Cabeça-vento
Distraída
"Tem que pirar!"
"Tem que pirar!"
"Tem que pirar!"

Cabeça-fria
Auto-realização em medir o grelo alheio
"Eu poderia estar te usando e te comendo!"
"Eu poderia estar te usando e te comendo!"
"Eu poderia estar mordendo a sua bunda!"

Cabeça-vodka
Mulher autodidata
"Tem que fazer análise!"
"Tem que fazer análise!"
"Tem que fazer análise!"

quinta-feira, 22 de março de 2012

Design-me Camaleoa

O primeiro passo é entender a ordem de leitura padrão ocidental: primária, secundária, zona morta, zona morta, centro ótica, centro geométrica. O curioso é ter duas zonas mortas no nosso padrão de entendimento.
Conhecer a ordem para manipulá-la.

Direcionar o seu olhar em mim; que não há sábio que não possa ser aluno; que você é meu elemento básico de comunicação. A parte mínima do meu projeto visual.

Uma escala cromática que vai do escuro do meu eu ao tom mais branco furta-cor do meu amor. “Minha, cor-ação.” E do meu ponto ao seu, uma distância; que temos muitas linhas entrelaçando-nos, mas horizontalmente, as estradas foram nossa companhia.

As linhas retas de serenidade e solidez que lhe fincam neste chão; As vivas linhas do teu corpo, meu novelo. Você é meu centro ótico, meu descanso. Na curva do vento o tempo me repousa, firme como uma linha curta.

Você é meu semântico, sintático, pragmático.

Eu me direciono a você porque sobraram contornos básicos teus que não consegui apagar do desenho que criei contigo. Mas usei a borracha para apagar e consertar outros traços, que se encontravam tortos.

Meu jeito diagonal, instável... Provocador! Enquanto isso você vivendo em mim um movimento contínuo... Associado ao enquadramento, à repetição e ao calor: meu círculo.

E já que temos escalas, ou seja, já que há essa comparação dos tamanhos, lembra que o grande não existe sem o pequeno e o pequeno não existe sem o grande, assim não há impressão de grandeza.

Na sua pele, minha textura favorita. Nesta dimensão, a ordem que você me lê, manipula o seu olhar sobre mim. Mas, depois que perdi a tecla da interrogação, parei de fazer perguntas.


IM. 20.03.12

sexta-feira, 16 de março de 2012

Baby

às vezes eu desligo
fecho os olhos
grudo na sua "pél"
e te amo sem fim
em mim esse  fio
esse elo
esse hãn
esse trem que não "cába"
"você é assim, um sonho pra mim"
- TODAS SÃO -
(em caixa alta)

Eu,
simplesmente,
ACORDEI !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

"Fome de Deus!"

E ia digitar facebook e digitou faz... ebook! Ops, desistiu.
E por (mais) um momento achou que o Barão Vermelho não foi digno nO Poeta está vivo. – Achou que cantara muito melhor – a Baronesa não consegue digitar!(facebookizou)

E não sabia pra onde ia, o cachorro resmungava e nem latia. E latinhas...  às várias! E não Bavarias!  - às Bavarias e às várias baladas baratas, adeus.

Aa Deus, diz que, pertenceis.

E Deus não te dá fome.





quinta-feira, 15 de março de 2012

Deus é maior e sabe o que faz

Não dormi direito.
A cama me sacudia.
Acordei, mas não pra vida.
A essa altura, meu abismo está maior.
Eu voo nos sonhos, mas não lembro para onde.
Eu morro nos sonhos, e em vida...
Nunca mais dormi direito e a bagunça do meu quarto é o espelho da minha alma inquieta.

Eu prefiro acreditar que Deus é maior e sabe o que faz.

domingo, 11 de março de 2012

10 de março

Consequentemente,eu trouxe o bloco. Eu trouxe  inteiro, e pesou.
O tapa na sua cara pesou, você me expulsar da sua vida pesou.
A bebida continua sendo a vilã do meu tempo.

Eu curto essa brincadeira para sadomasoquizar em você, as feridas do meu ser.
Sem dizer uma só palavra,eu como as outras pessoas no banho. Eu também curto essa brincadeira.

Hoje em dia não tem mais amor. Somente tapas na cara.
Mas, eu não queria ser uma pessoa amarga. E eu quero me relacionar com você, mas eu gosto de brincar de tapas na cara - aprendi essa brincadeira com alguém que fazia em mim.

Bom, mas eu ia dizendo que bebi todas com você. Dormi bohemia e acordei Nietzsche.
Acordei com noventa reais e vinte e cinco centavos no bolso e não sabia explicar isso,até que me lembrei.

Nunca mais uma masturbação, ou uma chupada sua.
Nunca mais uma estupidez deste tamanho. Descontar em você, qualquer coisa, é uma merda.
... Mas livrai-nos de não meter a mão na cara alheia, amém.

"Estou com a caneta engatilhada e fechei um dos olhos para mirar você."

Havia sentido que algo invisível estava me puxando pelo pé.
Espremiam minha barriga. Pior se eu estivesse grávida.
O silêncio não era tão raro assim, mas uma boa cama fazia toda a diferença.
Da sua janela nunca é tarde, a luz do poste não se apaga, ninguém dorme.
Ninguém dorme dentro de mim....Mentira,dorme sim! Alguns roncam demais até, por estarem em sono profundo.

Um escritor olha para dentro e fora de si e procura te contar tudo sob esta ótica particular; olha que privilégio.

Amiga, estou tão down, estou tão dasein.
Preciso tomar uma água gelada, escrever e dormir.
Fumar escrevendo, gelar a goela e dormir.

Que falta faz um elo!
Que falta fará um elo com você!

Mas,o mundo roda....e você não me ama também.
E o tal dez de março só vai ser uma bosta se eu deixar.