sexta-feira, 20 de agosto de 2010

MÁQUINA PENA ENERGIA

Como é difícil ser leve! Educado, eficiente, limpo, inteligente, saudável, decente, paciente, contente, e ter limite.

(Uma vez que busca-se o prazer que satisfaz, o indivíduo passa a estar aquém de qualquer ocasionalidade-agente-rompante deste ego.)

A maturidade é demônio paciente e anjo leve, enquanto o corpo ainda resiste ( ainda não deu tempo de avisar a pena ).

Uma pessoa é um ponto aqui e em qualquer lugar será o mesmo ponto, portanto o ponto de onde se parte e para onde decide-se ir passa a ser parte-pessoa-ponto ou o ponto de onde a pessoa parte, ou parte da pessoa em um ponto (da vida), ou ponto de partida, ponto de ferida, ponto da pessoa partir.

Até quando refugiar-se se fora fisgado!? A lua esteve diante dos teus olhos e soube lhe transmitir amor por enxergar energia. A luz da lua dos olhos quer brilhar em outro céu.

Cair para dentro da falta de limite
Roubar todo o juízo e aniquilá-lo
Ficar dias mudo
Passar mudos dias
E dias em que nada se acrescenta
Não se tem mais para onde crescer aqui.

Pacientemente visualizar refletindo que o homem já é máquina pois, o dinheiro compra o homem como máquina, e as máquinas se renovam, as máquinas se desatualizam.

Torcendo muito para sempre haver sol e existência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário