terça-feira, 5 de outubro de 2010

God, you have a message

Deus, eu estou escrevendo pra você me ouvir. Para agradecer a confusão que você me deixou criar na minha vida, diante desta pude ter tempo pra pensar em reagir e pra curtir com cuidado meu espaço e meu silêncio, o carinho que eu sinto e que me dedicam. E mais, para dizer que não concordo com as oportunidades que você diz que vai me dar e na hora "H" do vamos ver, você me deixa na mão, na contramão do certo, me tornando culpado porque sou eu que não consigo abraçar a chance, em suma dependeria só de mim mas é mentira, porque me diriam para colocar tudo em suas mãos então?. São tantas perguntas... E eu não deixo de acreditar em você por isso, já deixei de acreditar em ti e me arrependi, mas não deixo de pensar que quando eu concordo com você eu sempre (sempre) me torno culpado. Não concordo com a crença da pureza que lhe rodeia, seria possível (?) essa mesma pureza que eu preciso praticar para ser digna de entrar no seu lar. Você conhece minha pureza e minha sujeira desde o dia em que nasci, e eu sei que sou digno da tua confiança, eu sou digno da tua esperança, digno do seu perdão por tantos erros imbecis. E você conhece a falta de pureza das pessoas, das minhas origens, pois nem todos são oque acham que são e quanto às malandragens familiares, das quais não participo, eu não acho tão, por assim dizer, católicas e carismáticas. Todo o carisma que eu tenho, eu tive que correr atrás, você plantou em mim uma sementinha de luz, eu sinto todos os dias essa espécie de diferencial divino, a fé é grande demais Deus e está tudo errado aqui embaixo, o afago está em desuso, e muito do sentido está sem sentido, a vida das pessoas se resume a consumo e cansaço, a minha também, por isso ando descansando com desapego do futuro, eu vivi muitas coisas boas, e amei lindas pessoas que me mereciam, convenci algumas do bem que você nos faz. Mas eu te peço para cuidar dos meus pés, e você me deixa cair, e eu me machuco e tenho que parar no tempo pra entender o que você espera de mim... O que você espera que eu faça? Como espera que eu reaja diante do caos mórbido na cabeça dos passantes que elegem seus líderes por interesse? Eu elegi a Ti meu líder com o interesse de ser compreendido e acolhido, sinto a diferença mas sou como eles. Sinto amor por ti, você não é só a personificação de uma doutrina religiosa específica, prefiro tê-lo como um bom pensamento meu e na verdade, há tempos só você está comigo no final de tudo aparando-me das quedas. Uma fé sem precedentes. O para-quedas que eu digo que eu possuo, tão agradecido por possuir, eu ganhei através da fé que eu sinto no Deus que eu não vejo. A fé naquilo que eu não vejo, transvestida numa força que estimula minha doçura e a minha loucura, e que me atravessa desejos soturnos, libidinosos, adúlteros, músicas que sugerem o óbvio escondido no costume do sinismo . Eu sou um sortido sortudo por acreditar, tem quem lhe dispense. Eu sei que você está de olho e que você tem os olhos grandes para isso, tem mãos que disparam raios que individam a alma do pagão, e pode me chamar de bandido, eu ando furtando muita verve por aí, acreditando que há a hora programada de se ter um sonho realizado e a minha há de chegar. Por ti, agradeço honrosamente meu presente e meu passado, o futuro a Deus pertence. Eu queria que todos eles acreditassem também, mas eles estão articulados na modinha do reza piamente aqui, e julga cruelmente ali. Eles estão ocupados demais com o desnecessário para absorverem o real feeling vital que gira em torno de nós regido sob a energia do alinhamento dos planetas. Enquanto eles dormem, nós conversamos... e ratifico que acredito na tua escuta e espero uma resposta tua. Acredito nos teus milagres como coincidênciais ultra-especiais que surgem diante de um constatado merecimento. Por que resolveste dar inteligência aos homens que adormecem a carne e embriagam a alma de tristezas? Você é tão bom, mas tão exigente.

2 comentários: