quinta-feira, 2 de junho de 2011

Quebra-cabeça HABILIDOSO para o amor requerido que não quer...


E não posso ousar mencionar teu nome, teus segredos condenariam a minha expressão livre. E eu tenho fotos suas que eu queria publicar, fotos nossas nas quais eu te admiro e não posso compartilhar com o meu mundo de palavras porque seu segredo é mudo de mim e não absorve intrinsicamente essas palavras que eu propago no meu poro.

Eu desconheço o seu desejo.

Eu não sei vibrar na sua frequência. Eu tento e não consigo, não completo o espaço vago da vibração do teu querer.

Eu descobri que eu te amo, mas eu amo afinal o mundo todo e meu mundo afetivo é mesmo muito grande, você teria que se acostumar com tanto amor e não tem como cobrar o desejo e a satisfação de amar e ser amado, que a maioria não contempla.

Eu não soube e não sei e nem quero me aproveitar do seu medo. O seu segredo é tão imenso que eu ainda não consigo desvendar, imagina me aproveitar da sua doçura inocente!!!

Me envolve a sua pele me esquenta, eu gosto do seu abraço, eu não gosto do fim repentino, do "acabou" que simplesmente acaba largando a porta destrancada e o cheiro no ar. Você não me deve nada que você não me deu...

Eu gostaria de ouvir no seu lugar: "O passado passou!" Mas meu passado não passou e isso também depende de você pra acontecer?? Eu não sei. Eu sei que seria mais fácil sua presença dedicada.

Nada mais dói, tudo está amórfico.

Pior é o que foi e não tem volta (sem ter revolta), e eu vivo de voz quase-adormecendo, adocicada que rompe com o rompante rompido!

E se eu seduzo você é sem querer, porque eu só busco o bom de ter você, e tenho medo do gostoso de mim que você desconhece, ele se apaixonaria. Você é menina demais, e eu mulher, viro menina do encanto esperanto.

Eu vou colocar essa dúvida em você: eu valho a pena?

Nenhum comentário:

Postar um comentário